Cientistas especulam sobre planeta que teria escapado da visão de telescópio

Publicado: 11 de maio de 2012 por sundeksp em Reportagens
Tags:, ,

Washington, 10 mai (EFE).- Uma equipe de cientistas acredita ter detectado, entre os dados enviados pelo observatório espacial Kepler, um planeta localizado a 2,8 mil anos-luz da Terra em direção ao centro da Via Láctea que teria passado despercebido pelo telescópio, informou nesta quinta-feira a revista ‘Science’.

Enviado ao espaço em março de 2009, o Kepler vigia o resplendor de aproximadamente 150 mil estrelas, em busca de sinais que indiquem o trânsito de planetas em suas órbitas. Em princípio, o telescópio, batizado em homenagem ao astrônomo alemão Johannes Kepler – do século XVII -, tinha uma missão programada para três anos e meio, mas o prazo foi prorrogado até 2016.

O Kepler, de pouco mais de uma tonelada, percorre a cada 373 dias e meio uma órbita a 149,6 milhões de quilômetros do Sol, e observa o universo com um telescópio cujo espelho de 1,44 metro é o maior posto em uma órbita extraterrestre.

Entre os cientistas que diariamente revisam as enormes quantidades de dados transmitida pelo Kepler, uma equipe liderada por David Nesvorny, do Instituto de Pesquisa Southwest em Boulder (Colorado), encontrou uma divergência que tinha passado despercebida para o telescópio caçador de planetas.

Para encontrar planetas além da Via Láctea, os cientistas usam um método prático: se um planeta ao orbitar passa a frente de uma estrela observada pelo Kepler, periodicamente obstruirá uma porção do resplendor do astro.

Esta diminuição pequena e repetida da luminosidade da estrela indica a presença de um planeta. Os detalhes desse trânsito permitem que os cientistas deduzam as propriedades físicas do sistema e as proporções de raio das órbitas.

No caso de um planeta que percorre uma órbita estritamente kepleriana, as distâncias, ritmos e outras propriedades na curva de luminosidade deveriam se manter constantes. No entanto, vários efeitos podem produzir desvios do modelo kepleriano, fazendo com que as distâncias e os ritmos não sejam estritos.

Nesvorny e seus colegas encontraram nos dados enviados por Kepler a probabilidade de um planeta que o telescópio não tinha assinalado, e inclusive a possibilidade de um outro que ainda não foi visto.

Os pesquisadores consideram excepcional a estrela KOI-872 porque mostra trânsitos com variações de tempo notáveis de mais de duas horas.

‘Em breve, ficou claro para nós que deve haver um objeto grande, e oculto, que influi no planeta que transita’, disse Nesvorny. ‘Para fazer uma comparação, se um trem de alta velocidade chega a uma estação com duas horas de atraso, sabemos que deve haver uma boa razão para isso’.

A estrela que atrai tanto interesse se denomina KOI-872 e os pesquisadores sustentam que, além de um já descoberto, outro planeta orbita o astro a cada 57 dias, embora não passe em frente à estrela na visão do telescópio de Kepler.

Os pesquisadores sugerem a presença de um terceiro planeta, com uma massa aproximadamente 1,7 vez maior que a Terra e que orbitaria a mesma estrela a cada 6,8 dias.

Fonte: Veja

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s