Arquivo de outubro, 2014

Mistério de lua que balança intriga cientistas

Publicado: 17 de outubro de 2014 por sundeksp em Fotos & Imagens, Reportagens
Tags:

O interior de Mimas, uma das 62 luas conhecidas de Saturno, pode conter água, de acordo com um novo estudo.

NASA/JPL

Antes conhecida por parecer com a “Estrela da Morte” de “Guerra nas Estrelas”, Mimas agora chama a atenção por poder conter um oceano subterrâneo

 

Famosa por causa do formato parecido com a “Estrela da Morte” do filme Guerra nas Estrelas, o satélite apresenta uma espécie de tremor, um movimento oscilante que, segundo astrônomos, é duas vezes maior que o esperado para uma lua com estrutura regular e sólida.

Para os especialistas há duas explicações para o fenômeno de oscilação de Mimas: ou a lua tem um imenso oceano subterrâneo ou tem um núcleo rochoso em formato de bola de rúgbi.

O estudo sobre Mimas foi publicado por um grupo de astrônomos dos Estados Unidos, França e Bélgica na revista Science Magazine.

A existência de água é tida por astrônomos como um dos principais requisitos para a existência de vida em outros planetas.

Interior exótico

A lua de Saturno tem cerca de 400km de diâmetro e é quatro vezes menor que a terrestre. Astrônomos dizem que oscilações na órbita de Mimas tinha desvios de até 6km, o dobro do que se esperava para uma lua com seu porteOs astrônomos basearam seus cálculos em fotos de alta resolução de Mimas enviadas pela sonda espacial Cassini.

A sonda foi enviada ao planeta dos anéis em 1997 e uma de suas principais descobertas foi justamente que Saturno tinha muito mais luas que se supunha – no ano de seu lançamento, astrônomos acreditavam que apenas 18 satélites orbitavam o segundo maior planeta do sistema solar.

Além de construir um modelo em 3-D de Mimas com o auxílio de centenas de imagens de diversos ângulos, os astrônomos mapearam diversos pontos da superfície da lua.

“Depois de examinar a superfície de Mimas, encontramos diversos tremores nos polos”, explicou um dos autores do estudo, Radwan Tajeddine, da Universidade de Cornell (EUA).

Tremores não são incomuns em luas: a Lua terrestre, por exemplo, também passa por pequeno balanços que a fazem mostrar diferentes ângulos de sua superfície com o passar do tempo. Mas Tajeddine e seus colegas descobriram que o vaivém pendular de Mimas é de 6 km, o dobro do que se pode esperar de uma lua com o tamanho e a órbita de Mimas.

A descoberta surpreendeu os astrônomos, para quem Mimas era apenas uma rocha congelada.

 

Àgua é um dos elementos mais raros do universo e, só com ela, é possível que exista a vida
 
Uma equipe do Instituto de Ciência Carnegia, em Washington, nos EUA, encontrou nuvens de vapor d’água em uma estrela que brilha a 7,3 anos-luz da Terra. Esse seria o primeiro indício de nuvens de água fora do Sistema Solar. As informações são do Gizmodo.

Segundo a publicação, a WISE 0855-0714 é considerada uma anã marrom, por ter menos de 1% da intensidade do Sol em seu brilho. Porém, ela é uma das estrelas mais próximas do Sol. 

Até hoje, os cientistas só haviam detectado nuvens de vapor na Terra e em Marte. Vale lembrar que a água é um dos elementos mais raros do universo e, só com ela, é possível que exista a vida. Ou seja, mesmo que nuvens de água não signifiquem vida, a descoberta é extremamente importante e inédita para os cientistas.

Ilustração da estrela WISE 0855-0714  Foto: Gizmodo / Reprodução

Luz misteriosa é vista no céu de diversas regiões dos EUA

Publicado: 8 de outubro de 2014 por sundeksp em Fotos & Imagens
Tags:, , ,
Testemunhas disseram que a luminosidade se movia muito devagar para ser um meteoro e que a luz pareceu se pulverizar de forma bastante incomum
 
Uma luz misteriosa causou curiosidade e espanto em diversos americanos que comentam e postam fotos nas redes sociais do feixe iluminado que apareceu ao longo do final de semana em diversos estados do país. Com informações do Daily Mail.

Inúmeros relatos contam que luzes avermelhadas e azuladas cruzaram o céu entre San Francisco e Washington desde a última sexta-feira. Já o site da Sociedade Americana de Meteoros foi inundado com perguntas e fotos de testemunhas relatando ter visto luzes amareladas ou esbranquiçadas.

Testemunhas disseram que a luminosidade se movia muito devagar para ser um meteoro, e que a luz pareceu se pulverizar de forma bastante incomum, não parecendo se tratar de uma estrela cadente. O cientista Bing Quock, do planetário Morrison da Academia de Ciências da da Califórnia, disse que ele precisa analisar melhor as evidências.

“Olhando para o site da sociedade de meteoros, parece que a luz se trata de algo incomum, com uma espécie de calda maior do que o comum. Talvez seja um pedaço de lixo espacial ou um míssil em teste”, disse.

Uma das fotos divulgadas do feixe de luz misterioso  Foto: CNN / Reprodução
 

Algumas teorias levantadas foram de um possível míssel durante um teste ou lixo espacial secreto que tenha caído na órbita terrestre. Porém, a Força Aérea Americana com base em Vandenburg disse que não foram realizados testes neste final de semana.

A Nasa ainda não se pronunciou sobre o assunto.

 

 

Sonda Curiosity da Nasa encontra ‘bola’ em Marte

Publicado: 8 de outubro de 2014 por sundeksp em Fotos & Imagens
Tags:, ,

Imagens foram registradas no dia 11 de setembro

A missão do robô Curiosity em Marte tem contado com diversas descobertas inusitadas e, por vezes, divertidas. A última foi uma “bola”, encontrada pela sonda da Nasa no território extraterrestre. As informações são do The Independent.

As imagens foram registradas no dia 11 de setembro e divulgadas pela Nasa na última quarta-feira. À primeira vista, o achado parece com uma bala de canhão ou com uma bola de golfe.

No entanto, a “descoberta” não passa de uma rocha esférica. Segundo os cientistas do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, em Pasadena, nos EUA, o objeto não é tão grande quanto parece e tem apenas cerca de um centímetro de diâmetro. 

A sonda Curiosity, da Nasa, pousou no planeta vermelho em 2012 em uma missão para buscar indícios de que o planeta pôde, um dia, ter abrigado vida.

O satélite tomará tons avermelhados em evento que ocorrerá poucas vezes neste século
 
 
Lua de Sangue está de volta esta semana e poderá ser vista a olho nu em alguns países da América do Norte e Latina. Pela segunda vez neste ano (e última), o fenômeno poderá ser observado logo cedo desta quarta-feira, no chamado eclipse total.

No Brasil, por volta das 6 horas da manhã deste dia 8, as pessoas na região Norte e em parte do Mato Grosso do Sul poderão assistir ao fenômeno a olho nu. “Ao contrário dos eclipses solares, os lunares podem ser vistos sem proteção nos olhos”, explica o físico André Luís Parreira.

Para o físico, o fenômeno desta quarta-feira poderá ser uma verdadeira ‘Lua de Sangue’, com o satélite bastante avermelhado no ponto máximo do eclipse. “Pode se pensar que a Lua, que estará na sombra da Terra, ficará escura ou invisível. Mas isso não acontece porque a luz solar, em interação com a atmosfera,que se comporta como uma ‘lente’, se espalhará e os tons mais avermelhados se desviarão e atingirão a Lua”, explica o professor.

André lembra que as características da atmosfera, no momento em que ocorre o eclipse, interferem na intensidade do tom avermelhado que a Lua poderá atingir.

É o segundo fenômeno desse tipo em 2014, o primeiro foi em abril. Em 2015, serão mais dois eclipses lunares, completando a chamada “Tétrade”. “Existem poucos registros recentes desse acontecimento, o último foi em 2004, e só teremos mais duas Tétrades até o fim do século”, conta o professor Parreira.

O fenômeno volta a acontecer nos dias 4 de abril e 28 de setembro de 2015.

Quando acontecerá o eclipse?
O eclipse desta quarta-feira começará a fase parcial quando a lua entrar na “sombra” da Terra (também chamada de sombra umbra). Isso acontecerá por volta das 5h15 EDT (6h15 em Brasília). Depois, a sombra umbral percorre a superfície da Lua, da esquerda para a direita. Às 7h25, no horário de Brasília, o eclipse é total e a lua fica totalmente à sombra e aparece avermelhada.

Como acontece um eclipse?
O eclipse acontece quando um corpo no espaço provoca o escurecimento (ou sombra) em outro. “De forma muito simples, podemos pensar que a Lua, em determinadas ocasiões, pode se colocar entre o Sol e Terra. Ela impedirá a visão completa do Sol e, assim, teremos também um escurecimento de nosso dia – esse é o Eclipse Solar”, explica André, que ressalta ainda a existência dos eclipses lunares.

 “A Terra pode fazer sombra na Lua. Como a Lua é visível por receber luz do Sol, quando a Terra encontra-se entre o Sol e a Lua, a iluminação da Lua fica reduzida, provocando efeitos bonitos, como sombras ou até mudança de cor”, encerra.

Fonte: Portal Terra